quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Morreu o Zé Pedro. Difícil de acreditar. Sorriso, generosidade, talento, luta. Que falta nos vai fazer!




Zé Pedro foi fundador da mais duradoura e popular banda de rock portuguesa, os Xutos & Pontapés. Começa a banda em 1978 quando tinha 22 anos.



Zé Pedro estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, tendo só sido assumida publicamente em novembro, a propósito do concerto de fim de digressão dos Xutos & Pontapés, no Coliseu de Lisboa.

Depois do espetáculo no Coliseu, publicou no Facebook uma mensagem sentida.

"Entrar em qualquer sala com lotação esgotada é maravilhoso. Os Coliseus tem uma magia muito própria e o concerto de ontem foi muito especial.

Como sabem tenho andado na luta da vida com alguns problemas de saúde... Tentei e tento dar sempre o melhor de mim. O vosso carinho, o vosso amor, a vossa energia, toda a força que me transmitem é-me tão forte e vital que só posso humildemente agradecer.... Obrigado também a todos os que ontem gritaram o meu nome e fizeram com que tivesse força para continuar naquele palco até ao fim. Obrigado à Cristina e aos X&P por tudo e por tanto.

Amanhã começo um novo tratamento e garanto que é para GANHAR. EU SEI LUTAR E ACREDITO.

Fica um até já Zé Pedro! És grande "Muito" Grande e viverás para sempre na musica portuguesa!








Fontes:
Texto adaptado de RTP
Foto: daqui

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Igreja Matriz de Santa Marinha de Cortegaça – Ovar





A Igreja Matriz de Cortegaça, deslumbra pela sua belíssima fachada de azulejos em tom de azul.





A Igreja Matriz de Santa Marinha de Cortegaça, conhecida simplesmente por Igreja Matriz de Cortegaça localiza-se na vila e freguesia de Cortegaça, freguesia portuguesa do concelho de Ovar, distrito de Aveiro, em Portugal. As fontes relativas aos séculos X e XI não referem o templo, a sua padroeira ou o seu abade.



A referência documental mais antiga ao templo encontra-se em um testamento de 1163, onde Garcia Gonçalves lega ao Mosteiro de Grijó o seu direito de padroado sobre a Igreja Matriz de Cortegaça. No mesmo período, o Censual da Sé do Porto, que se acredita seja datado de 1174-1185, regista os tributos a pagar, em cereal e em dinheiro, pela Ecclesia Sanctae Marinae de Cortegaça, ou seja, a Igreja Matriz de Cortegaça. Acredita-se, por esta razão que a igreja remonte pelo menos ao meado do século XII.



No início do século XIII Sancho I de Portugal legou bens a D. Maria Pais Ribeiro (a Ribeirinha) e, desde então os seus descendentes sempre se declararam herdeiros naturais ou padroeiros da Igreja Matriz de Cortegaça. D. Constança Sanches, filha de ambos, declara formalmente que recebeu esse “direito” de sua mãe, direito que legou por sua vez ao Mosteiro de Grijó e que, aqueles frades nunca deixaram de exercer.



O actual templo foi erguido por iniciativa do padre Manuel Pereira, abade no período de 1901 a 1918. As obras foram iniciadas a 18 de Abril de 1910, com projecto de Manuel Soares de Almeida. A Implantação da República Portuguesa (Outubro de 1910) frustou a obtenção dos recursos solicitados à Monarquia pela Câmara Municipal, tendo se registado ainda, durante as obras, o falecimento do padre Manuel Pereira (1916).



Ainda assim o esforço da comunidade logrou alcançar a conclusão do templo, inaugurado solenemente pelo novo abade, padre José Maria Francisco dos Santos, em 18 de Agosto de 1918. A fachada da Igreja Matriz de Cortegaça foi revestida com azulejos no período de 1921 a 1923.

Elevador da Bica




Experimente uma das viagens mais icónicas de Lisboa. Numa calçada íngreme, com o Tejo ao fundo, o elevador percorre umas centenas de metros únicos, inspiradores e muito fotogénicos.








Fazendo a ligação entre a Rua de S. Paulo e o Largo do Calhariz é um dos elementos mais pitorescos da cidade de Lisboa, atravessando o popular Bairro da Bica. Construído pela Companhia dos Ascensores Mecânicos de Lisboa,sob projecto de Mesnier du Ponsard, foi inaugurado em 1892. Trata-se de um equipamento de transporte urbano constituído por 2 carros,ligados por um cabo subterrâneo,que sobem e descem alternada e simultaneamente ao longo de duas vias paralelas de carris de ferro.Movido,inicialmente a água e pelo sistema de tramway-cab, passou da locomoção por contrapeso de água à locomoção a vapor,em 1896,conhecendo a sua total electrificação,somente,em 1914. Esteve parado durante 9 anos,devido a um acidente que sofreu,tendo recomeçado o seu percurso de sobe-e-desce em 1923. O Ascensor da Bica e o seu meio urbano envolvente estão classificados como Monumento Nacional.








Horário

2ª f - sáb: 07h00 - 21h00; dom e feriados: 09h00 - 21h00

Transportes

Autocarros: 758
Elétrico: 28
Metro: Cais do Sodré
Comboio: Cais do Sodré - Linha Cascais

domingo, 26 de novembro de 2017

Covão da Ametade





O Covão da Ametade é um dos locais mais simbólicos e mais belos da Serra da Estrela. Está localizado no início do Vale Glaciário do Zêzere. Trata-se de uma depressão mal drenada situada num covão glaciar a jusante do covão cimeiro.

Atualmente é no Covão da Ametade que o rio Zêzere toma corpo, na pequena planície com origem em sedimentos glaciários que anteriormente foi uma lagoa com a mesma origem. É uma zona bastante atrativa devido à vegetação envolvente maioritariamente composta por bétulas, planta esta que tem a particularidade de criar um ecossistema com uma grande biodiversidade.

Apesar do local estar a uma quota perto dos 1500 metros de altitude, só não está acessível nos dias de inverno mais rigoroso em que as estradas não permitem passagem devido à queda de neve. Este local é procurado pelos desportistas de inverno e de montanha que optam por começar nesta zona as suas caminhadas e escaladas ao longo dos covões e formações rochosas que terminam junto ao Cântaro Magro.













Como chegar:

Latitude: 40° 19' 41.52" N
Longitude: 7° 35' 15.108" W






Texto adaptado Daqui

Esquilo-vermelho de regresso a Portugal após extinção de séculos



Centenas de anos depois de ter sido dado como extinto em Portugal, o esquilo-vermelho está de regresso ao país, depois de uma expansão a partir da Galiza, em Espanha

De norte a sul de Portugal já foram avistados cerca de 1440 esquilos o que representa um crescimento desde os anos 80, data que marcou o regresso às florestas nacionais.









O projecto "O Esquilo Vermelho em Portugal", iniciado em Setembro de 2013, está ligado à Unidade de Vida Selvagem do Departamento de Biologia de Universidade de Aveiro (UA) e recorre à ajuda dos cidadãos para descobrir por onde anda o esquilo vermelho em Portugal. 





quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Pulo do Lobo no rio Guadiana vai ter passadiço





Passadiço no Guadiana vai permitir visitar em segurança cascata do Pulo do Lobo no Alentejo


A Câmara de Serpa, no Alentejo, vai instalar passadiços para permitir visitas em segurança à zona da cascata do Pulo do Lobo, no rio Guadiana, a maior do sul de Portugal e um atrativo turístico do concelho.


As escadas de madeira vão ter cerca de 300 degraus e representam um investimento de 463 mil euros






Texto adaptado Daqui

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Santuário de Nossa Senhora de Aires



O Santuário Mariano de Nossa Senhora de Aires em Viana do Alentejo  foi ao longo da sua história um ponto de encontro da fé católica, em que numerosos grupos de peregrinos afluíam ao santuário nos períodos festivos de Setembro e Outubro, provenientes de localidades como Alvito, Alcácer do Sal, Vidigueira, Cuba, Beja, Torrão, Montemor-o-Novo, Évora, e Vila de Frades.

Neste santuário venera-se a imagem em pedra de Ançã da antiga padroeira, Nossa Senhora da Piedade. Essa imagem, em que Nossa Senhora está sentada com Jesus morto nos braços é objeto de grande fé pois segundo a tradição nunca deixou de socorrer os crentes, como o confirmam os inúmeros ex-votos expostos na Casa dos Milagres, uma coleção de arte popular única e singular que inclui objetos de diversas épocas como fotografias antigas, vestidos de noiva e tranças de cabelos.

O santuário em estilo barroco foi construído entre 1743 e 1804 segundo projeto do Padre João Baptista no local onde existia uma primitiva ermida quinhentista. O edifício tem uma planta de cruz latina composta por uma única nave com cobertura em abóbada de berço. No interior, destaca-se o altar de talha em estilo rococó.

Dois dos mais emblemáticos eventos de Viana do Alentejo estão relacionados com este Santuário: a feira franca de Nossa Senhora D’Aires, no último fim-de-semana de setembro e a Romaria a Cavalo, entre a Moita e Viana do Alentejo, através da antiga canada real, que se costuma realizar no último fim-de-semana do mês de Abril.







Texto adaptado daqui